A Calvície Masculina é um grande fator de preocupação, vaidade e até mesmo vergonha entre homens que se cuidam cada vez mais. Para que você fique por dentro, é preciso conhecer tudo sobre calvície como causa, tipos e tratamento. Para isso, leia atentamente as informações a seguir.

1 – O que pode causar a calvície masculina?

A maioria das pessoas perde entre 50 a 150 fios de cabelos por dia, o que é normal. Sempre que um fio cai, ele é substituído por outro no mesmo folículo, dando início a um novo ciclo de crescimento.

Porém, com o passar da idade, principalmente na velhice o crescimento dos cabelos tende a ser mais lento e até mesmo parar, o que resulta em calvície.

Outros fatores como mudança hormonal, dieta, medicamentos, estresse, hereditariedade, cuidados impróprios com os cabelos e certas doenças podem causar a queda de cabelo.

2 – Quais os principais tipos?

Alopecia androgênica:

É mais comum em homens do que em mulheres. Sendo uma manifestação é caracterizada pela redução parcial ou total de cabelos, ou a ausência de pelos em uma determinada área da pele.

A calvície é geralmente mais perceptível no couro cabeludo de forma fisiológica ocorrendo em indivíduos geneticamente predispostos levando à famosa “queda dos cabelos”.

Que sofrem um processo de miniaturização por fatores hereditários que podem vir tanto do lado paterno quanto  materno ou quando o hormônio masculino testosterona  é convertido para diidrotestosterona (DHT) reduzindo a produção de fios afetando mais de 50% dos homens.

Alopecia areata:

Esse transtorno é caracterizado pela perda repentina de cabelo em uma área particular, que cresce de volta depois de alguns meses. A causa exata desse tipo de calvície é desconhecida. Muitos acreditam ser devido a uma desordem autoimune.

Alopecia tóxica:

Ocorre sempre após uma febre alta ou doença grave. Também é ocasionada devido a doses excessivas de algumas drogas que contenham tálio, vitamina A e retinóides. Doenças da tireoide podem desencadear a calvície tóxica. Este tipo de calvície é caracterizado pela perda de cabelo temporária.

Alopecia cicatricial:

São áreas contendo cicatrizes de queimaduras, ferimentos, infecções por bactérias ou fungos podem impedir o crescimento de pelos em volta.

Alopecia universal:

O tipo mais agressivo de calvície, onde há perda de todo o cabelo e de toda a pilificação do corpo, o que causa muitos transtornos emocionais no indivíduo. Muitas vezes, é necessária a assistência de um conselheiro profissional para lidar com tal situação.

3 – Existe tratamento para a Calvície Masculina?

Abordamos em outro artigo, da “curas” da calvície, sobre os remédios caseiros que prometem a cura da calvície, porem sem muitas comprovações cientificas e eficácia comprovada.

Infelizmente a maioria dos tipos de calvície não tem cura. Mas para a Calvície Masculina existem dois tipos de tratamento:

O tratamento cirúrgico:

Nesse procedimento o cirurgião dermatologista, retira o próprio cabelo da pessoa normalmente da região da nuca, e realiza um implante capilar na região afetada, os resultados desse procedimento é um dos mais satisfatórios, sendo aderidos por alguns artistas e celebridades.

O tratamento clínico:

Nesse procedimento, o dermatologista opta pelo uso de medicamentos, sendo um tratamento de baixo custo, e que podem trazer bons resultados em alguns casos. No Brasil esses fatores de crescimento já se encontram disponíveis para a manipulação de loções, e já vem na forma nanoencapsulada, o que potencializa muito a penetração na pele e duração do efeito.

Micro pigmentação do couro cabeludo:

Essa é uma técnica mais recente, que não é um tratamento contra a queda de cabelos, mas tem uma função mais estética. Nesse procedimento, é realizado através de técnicas de tatuagens, simulando um couro cabeludo de uma cabeça raspada, trazendo estética, qualidade de vida e autoestima ao paciente.

Seja qual for a técnica escolhida para o tratamento da calvície, o mais importante é sempre procurar orientação médica assim que notar uma perda considerável de fios e nunca usar medicamentos por contra própria, muito menos comprar medicamentos milagrosos vendidos pela internet ou indicações de amigos.